Vereadores fiscalizam e cobram posicionamento de instituições públicas

por Maria Eduarda publicado 15/05/2019 13h55, última modificação 15/05/2019 14h27
Dentre os assuntos relacionados estão reprovação escolar, extinção de secretaria, saúde, obras e atenção aos idosos

Em sessão ordinária realizada nesta terça-feira (14) os vereadores de Foz do Iguaçu aprovaram nove requerimentos, que fiscalizam e cobram respostas de instituições e órgãos do município.

Índice de reprovação preocupa

O vereador Celino Fertrin (PDT) solicitou informações sobre os motivos e medidas concretas que foram e estão sendo tomadas pela prefeitura para diminuir os elevados índices de reprovação nas escolas municipais de Foz do Iguaçu. O parlamentar já havia solicitado esses dados em outro requerimento, onde foi constatado que os maiores índices estão concentrados no 2°, 3° e 4° anos. O objetivo do vereador é saber quais serão as medidas tomadas pela Secretaria de Educação para diminuir este número nas escolas.

Adequação para climatização no CCI

Atendendo as reivindicações de usuários do Centro de Convivência do Idoso, a vereadora Inês Weizemann (PSD) apresentou um requerimento solicitando do Prefeito Municipal informações quanto ao funcionamento dos aparelhos de ar condicionado instalados no local. Segundo informações, o problema de queda da energia seria a carga necessária para ligar todos os aparelhos. Por conta disso, a vereadora solicita qual a previsão de adequação do padrão de energia elétrica e fiação para a plena utilização dos 14 equipamentos instalados.
A parlamentar apresentou também um requerimento que atende as reclamações de moradores da região do cemitério São João Batista. Solicitou informações sobre o sistema de drenagem da água da chuva e também a comprovação de dedetização do cemitério.

Secretaria da Segunda Ponte

O vereador Celino Fertrin (PDT) solicitou ainda os relatórios de trabalhos desenvolvidos pela Secretaria Extraordinária de Acompanhamento de Projetos e Obras da Construção da Segunda Ponte Internacional sobre o Rio Paraná, visto que essas informações não constam no Ofício n° 283/19. O parlamentar explicou que um requerimento foi feito no dia 22 de março de 2019 solicitando informações sobre os trabalhos desenvolvidos pela secretaria, desde a data de sua implantação.
O descontentamento se deu com a resposta para tal pedido, com o envio do decreto de revogação da secretaria. “Foram cinco meses de salário pago a um secretário, e o que produziu? Não disseram. O que realmente foi feito? Que frutos foram colhidos? Foram mais de R$ 50 mil pagos a esse secretario, isso se não houve a contratação de algum assessor”, afirmou.
O vereador Marcelinho Moura (PODEMOS) apoiou o pedido de informações e reforçou a necessidade de se ter informações concretas sobre o assunto.

Atendimento aos pacientes fora de domicílio

Celino Fertrin apresentou ainda um requerimento que contou com o apoio dos vereadores Jeferson Brayner (PRB), Kako (PODEMOS), Elizeu Liberato (PR) Inês Weizemann (PSD) e Marcio Rosa (PSD). Nele, o parlamentar solicita do Prefeito Municipal uma relação dos pacientes encaminhados à Casa de Apoio Vale do Ivaí, através do Tratamento Fora do Domicilio (TFD), no período de 15 de dezembro de 2018 a 30 de março de 2019.
Nas informações devem conter: relação de pacientes e acompanhantes; relação das diárias utilizadas por cada paciente e a relação que detalhe para qual unidade de saúde o paciente foi encaminhado.

Dados sobre Fozprev

O vereador Marcio Rosa (PSD) solicitou da Diretora Superintendente do Foz Previdência – FOZPREV, informações sobre quais são os fundos de aplicação de rendimento no período de 2017 a 2018. Ele pretende apurar os dados para fins de fiscalização e acompanhamento do fundo de previdência dos servidores municipais
Obras na Avenida Paraná
O vereador Elizeu Liberato (PR) requer informações acerca das medidas a serem tomadas em relação aos danos causados nas calçadas da Avenida Paraná, mais precisamente na parte que compõe a pista de caminhada. Segundo relatos dos moradores da região, no bairro Polo Centro, a calçada está danificada em função dos caminhões que fazem o trabalho de poda e manutenção de árvores e, ao subir nas calçadas, causam danos.


Texto: Maria Leithardt com supervisão de Elson Marques